Navios Medievais: O Buss do Templo

Os Templários e os Hospitalários empregaram muitos
barcos durante os duzentos anos de ocupação em
Jerusalém, fazendo as ligações pela costa e no
Mediterrêneo.

Ao contrário do que se prega a “poderosa” frota dos
Templários era alugada, da principal força naval que
era Veneza, Genova e Pisa.

É verdade que possuíram barcos próprios, o mais famoso
foi o Le Faucon – O Falcão, que era um enorme barco
dos Templários e tinha como capitão o marinheiro Roger
de Flor, cujas virtudes navais o fizeram sargento do
Templo.

- Um barco usado era o navire huissier, um barco com
plataforma de proa e que levava 40 cavalos por vez e
que atracava nas praias descarregando a carga por meio
de rampa, recolhida a rampa ela era novamente
calafetada e o barco retornava ao mar em segurança.

- Os busses eram os antecessores do Cog (Coca), tinham
um ou dois mastros.

- A galé tinha velas mas sua propulsão era a remos, a
mais comum tinha cerca de 100 remadores, 50 de cada
lado, 40 guerreiros e 5 comandos diversos. Veneza e
Bizância usavam galés enormes (Galé Veneziana e Dromon
Bizantino).

- Le Faucon du Temple, Acre em 1291 e em Chipre em
1301, segundo o Notai Genovesi in Oltremare,
1300-1301.

- Le Templère, Le Buszard du Temple e Le Buscart du
Temple, estes eram os Busses. Barcas cargueiras.

Operaram no porto de La Rochelle transportando vinho
de Poitou para a Inglaterra, entre 1230-1231 

- La Gran Nave, que possivelmente operava a partir de
La Rochelle. Ela foi afretada para Henrique III, rei
da Inglaterra e finalmente vendida.

- La Rose du Temple, registrada em Marselha 1288-1290

- La Bonne Aventure em 1248 em Marselha também.

- Santa Anna, no porto cipriota de Famagosta em 1302
(Notai Genovesi in Oltremare, 1302).

- O Angelica, Arquivo Angevino de 1270-1274, operando
no sul da Itália.

- O “mestre de travessias” trabalhava em  Marselha e
cuidava de tudo o que ia ou vinha para a Terra Santa e
todos os navios e cargas pertencentes à casa em Acre
estavam sob o comando do Comandante da Terra.

- O Marechal Ponta de Acre comandava a frota toda.
Deviam ser uns 50 barcos entre busses e galés.

- Foi Gerard de Villiers – preceptor do Templo que
escapou com 50 cavaleiros em 18 navios da Ordem em La
Rochelle, levando também o tesouro da Ordem.

RTJ Tonsatus

About these ads

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.